Crise política, seca e fogo castigam o Brasil

fogo

 

Tem gente que afirma por que no Brasil não há terremotos, maremotos e furacões e guerras, porque que Deus é brasileiro. Todavia, não analisa friamente, ou pesquisa, como em cinco décadas, o clima mudou em nosso país continental.

Quem não se lembra do frio de fazer tremer, aqui na bela e elegante Rio Preto, nos meses de junho e Julho? Pois bem e agora, o frio daqui ainda faz a gente tremer? Nem de longe. E o calor aumentou? Este sim, nos castiga na atualidade e vai piorar ainda mais. Até minha espevitada Santa Tambura, lá dos peraus da minha linda Amazônia, sabe que o Meio Ambiente hoje não se parece com o de outrora.

Agora sabemos de quem é a culpa pelo globo terrestre sofrer tantas mutações. O bicho homem com suas bombas atômicas, e milhares de outras convencionais que sujam a atmosfera terrestre diariamente, o desmatamento da Amazônia, África e Ásia, onde o homem busca fazer riquezas negociando madeira ao invés de plantar árvores.

Tudo isso contribui para o aquecimento global e o degelo dos polos, sem falar no fim da camada de ozônio que protege nossa atmosfera dos raios UV. O homem vai sofrer muito por causa disso!

Nas metrópoles, os prefeitos e as indústrias da construção civil só pensam em usar cimento e ferro; paisagismo e parques verdes é ilusão. A falta desse recurso somente rende dinheiro para as fábricas de ar-condicionados e ventiladores.

O seringalista Sissi diz que o jeito lá no seu seringal, é ir no igarapé mergulhar nas suas águas cristalinas e depois deitar-se numa rede preguiçosa e ficar se abanando, porque a temperatura está muito mais alta que há uma década passada.

O filósofo Zé Praxedes, que divide seu tempo entre Rio Preto e Amazônia, disse que no último dia que viajou voava sobre nuvens e via embaixo imenso fogaréu que acabava com inúmeras reservas, destruindo a vegetação e matando todo tipo de animais. É o ônus que a natureza cobra das ações do bicho homem, lembrou o filósofo das florestas verdes tropicais da Calha Norte.

A seca que grassa no Sudeste, Nordeste e Centro-Oeste, é mera coincidência? Ou fruto da destruição e falta de planejamento de governos passados? Claro! O homem só pensa no hoje. Ele sabe que derrubando a mata ciliar ele irá assorear os rios e no futuro vai  faltar água. Mas o lucro do momento fala mais alto.

 O rio São Francisco é um exemplo da mão do homem que não protegeu sua mata ciliar. O trabalho do senhor Lula da Silva, de usá-lo para irrigar parte do semiárido nordestino, foi feito apenas para desviar a atenção dos eleitores e ajudar construtoras amigas.

Se todo o dinheiro desviado do PAC I e II e Petrobras fosse usado hoje para fazer um aqueduto do rio Tocantins, ou mesmo do rio Amazonas, de cima para baixo no relevo brasileiro, via Nordeste, não teríamos terra seca e árida em nenhuma região. O país estaria exportando muito mais grãos e produtos hortifrutigranjeiros. Sem falar nos reservatórios das hidrelétricas do Centro-Oeste e Sudeste que estariam sempre cheios e gerando energia sem corrermos o risco de racionamento.

A modificação feita pela mão do homem, no planeta, afetou o mundo inteiro, sem falar nas guerras que, além de provocar milhões de mortes, interferem na biodiversidade global, provocando furacões, ciclones, tsunamis, chuvas de granizo inclusive com ventos de mais de 100 quilômetros por hora, isto,  quem diria, aqui no Sul do Brasil.

Nosso vizinho do outro lado continental, o Chile, sofreu o maior terremoto do ano no mundo, 8,43 graus e, se não fosse o governo ter planos de alerta e emergência, haveria muito mais que as 11 mortes que foram registradas.

Terremotos está provado que no Brasil as possibilidade de os termos são mínimas. Os únicos que acontecem, diz o filósofo Zé Praxedes, se localizam sempre no Congresso Nacional e no Palácio do Planalto.

Todavia, temos vendavais, chuvas excessivas, com granizo e ciclones no Sul, e secas que castigam grande parte de nossos irmãos no Nordeste e até mesmo no Centro-Oeste.

 E em Rio Preto, a temperatura está uns dois graus a mais. Também pudera o prefeito só planta obras com cimento e ferro, nem tapa mais buraco e nem mandioca ele está plantando mais! Arre égua, assim não dá!

Vou! Fui! Inté!

Vismar Kfouri – Jornalista, escritor e ambientalista. kfouriamazonia39@gmail.com Blog: https:\\kfouriamazoniawordpress.com – Contatos P\palestras: 17-99186-7015;

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s