Salvemos a Terra antes de irmos a Marte

Terra

 

A humanidade está eufórica com as notícias da mídia internacional desde que a NASA começou a divulgar que, em Marte tem água em estado líquido, apesar de impura. Ela pensa que o homem terá uma oportunidade de colonizar este planeta antes que o degelo, efeito estufa ou bombas atômicas acabem com o meio ambiente neste ainda lindo planeta azul em que vivemos. Ledo engano!

O bicho homem é seu próprio predador. Ele se importa mais com um risco novo no seu carro de luxo, do que com as milhares de mortes que ocorrem nas guerras ou nos naufrágios de imigrantes que fogem em busca de vida nova além fronteiras.

São tantas guerras que provocam genocídios, execuções selvagens cometidas entre os próprios seres humanos, que até um verdadeiro chacal teria vergonha de participar delas. É ou não uma verdade?

Como o homem está provocando o fim da terra com suas atitudes antiambientais, os países evoluídos pensam e já trabalham com hipóteses, e mesmo com tecnologias novas para a construção de naves capazes de levar representantes do Homus Sapiens para colonizar outros planetas. Isso é uma verdade e uma baita ignomínia!

Na sessão de abertura da ONU, feita tradicionalmente pelo Brasil, através da presidente Dilma Rousseff, recentemente,  muito se falou em proteção ao Meio Ambiente mundial. No entanto, quando ela falou da Amazônia, fiquei deveras triste com o que ela narrou. Simplesmente afirmou que a devastação (derrubadas da mata) na maior reserva de floresta tropical do planeta, que fica na Calha Norte brasileira, iria se encerrar num prazo de 35 anos. Que lamentável; que disparate!

Demonstrou nossa presidente que além de não estar preparada, não sabe tratar com respeito sua própria terra, ela fez o jogo das nações mais desenvolvidas, que prometem diminuir o efeito poluição de suas indústrias.

As grandes nações pagam aos países do Terceiro Mundo, para que estes sim façam ações antipoluentes. Isto garante a elas, que suas indústrias continuem poluindo normalmente o planeta e arrecadando bilhões de dólares ou euros, através de suas exportações. Assim não dá, reclamou lá dos confins da verde e ainda luxuriante Amazônia Legal brasileira, minha Santa Tambura, coadjuvada pelo irrequieto e sábio seringalista Sissi do interior de Rondônia.

Será que os presidentes das grandes potências que mandam foguetes e satélites para o espaço, muitos para espionar nações inimigas, outros para monitorar a floresta Amazônica, não veem que eles próprios são os responsáveis pelo desequilíbrio ambiental na Terra? Claro que sim! Mas a necessidade de manter o poder de uma nação sobre as outras, fala mais alto e dane-se o planeta Terra.

Os norte-americanos esperam que até 2030 eles possam aterrissar em Marte com uma expedição pioneira que irá estudar a possibilidade de se criar lá uma colônia para manter a continuidade da raça humana, porque, segundo estudiosos, a Terra que já vem sofrendo intervenções catastróficas da mãe natureza, está dando sinais de que será difícil sanar os estragos já feitos pelo homem. E seu fim é iminente.

Todavia, segundo o filósofo Zé Praxedes, que passou 40 anos ou mais um pouquinho de sua vida na Amazônia, ora auxiliando os povos tradicionais da floresta tropical, ora fazendo denúncias contra sua exploração clandestina e criminosa.

 O filósofo afirma categoricamente que a presidente Dilma, se ficar no poder e terminar seu mandato, deve enviar  urgentemente ao Congresso Nacional, que ela acabou de comprar, um decreto-lei de “Desmate Zero Já.”

Segundo ainda o filósofo da floresta, caso contrário, em 2030, não haverá nem resquícios de que a Amazônia existiu. Voltou a repetir que os empresários corruptores, auxiliados por maus servidores públicos, aliados a grileiros, garimpeiros e madeireiros gananciosos, não deixarão uma árvore em pé, até a data preconizada pela presidente desta nação que continua dormindo em berço esplendido.

O velho pajé Miratinga da tribo dos Uru Eu Uau Uau, afirmou via sinais de fumaça, que já cansou de fazer pajelança para não ouvir o barulho de motosserras na floresta que o cerca, mas diz que não há pajelança que dê jeito na ambição desenfreada dos cara- pálidas.

Quem sabe a professora de Porto Velho, cujo nome me foge agora, candidata a ir, na primeira expedição americana para Marte, filha de um velho amigo, o professor Amizael, ex-deputado estadual, vá mesmo para este planeta e nos mande uma correspondência de lá, informando se vale a pena perder a Terra por causa dos maus-tratos que sofre da humanidade, ou viver naquele planeta com vida artificial? O foguete vai partir! Vão com tudo e voltem se puderem, certo? Eu vou é dormir… Vou! Fui! Inté!

Vismar Kfouri – Jornalista, escritor e ambientalista. kfouriamazonia39@gmail.com – Blog: https:\\kfouriamazonia wordpress.com – Contatos P/palestras: 17-99186-7015.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s