Brasil sem lenço e sem documento

hitler

Pois é, se o brasileiro ainda nutre resquícios de esperança para o término da crise política e econômica, que os governos petistas nos colocou desde a era Lula, pode ir tirando o cavalinho da chuva que, no índice mundial do PIB, estamos perdendo feio da Bolívia, do Paraguai, do Equador, Peru, Venezuela e, por ai vai. Acho que perdemos até para o Sudão, asseverou minha Santa Tambura lá dos cafundós da nossa querida Calha Norte.

Disse o sábio seringalista Sissi, também lá dos paranás das selvas amazônicas, que o Brasil está parecido com o samba do velho malandro do morro, como cantava o saudoso Bezerra da Silva, que dizia assim, “estamos sem lenço e sem documento” Nada mais vero…

A rejeição da presidente Dilma Rousseff, o escândalo envolvendo o presidente da Câmara Federal Eduardo Cunha com suas contas clandestinas em bancos suíços, a investigação sobre o envolvimento do senhor Renan Calheiros, presidente do Senado e dos demais parlamentares petistas envolvidos na Operação Lava Jato, e outros que foram processados e condenados antes no mensalão e, em tantas outras CPIs que terminaram em pizzas, faz realmente o brasileiro colocar sua barba de molho e claudicar como São Tomé, e dizer: “só acredito em milagre vendo”.

Para especialistas em política nacional, os grandes gurus da mídia, acreditam que os partidos brasileiros de oposição e o próprio PMDB, com a ajuda técnica que houve através do TCU, TSE e STF estão apenas aguardando a brasa ficar mais forte a fim de jogar a sardinha nela para assar de vez.

Segundo o filósofo Zé Praxedes, enquanto os políticos mais velhacos, ops, desculpem, mais espertos, aguardam outras pedaladas da presidente, alguns de oposição mais arrojada como a turma do PSDB, querem o impeachment de dona Dilma já, porque se isso ocorrer, ela levaria junto o seu vice Michel Temer e, ai haveria nova eleição, pois o mesmo também ficaria incapaz de assumir no lugar da titular.

O engraçado da política petista, é que eles foram incapazes de prosseguir com o Plano Real como ele foi concebido. Disse o velho e venerável pajé Miratinga, da tribo dos Uru Eu Uau Uau, lá do interior rondoniense, mais politizado que muitos neguinhos destas bandas.

Disse ele, que os governantes petistas e seus acólitos, quando assumiram o poder, foram com muita sede na moringa e a água que nela havia não matou a sede deles, pois era manguaça pura.

Sabem o que aconteceu? Exclamou o zuado Nésin Manguaça, já trançando as pernas a caminho de seu tapiri: “é que teve um deles, que bebeu antes dos companheiros, toda a manguaça da moringa e deixou os colegas só na saudade”. Chefe é chefe Nézin, não aprendeu com o tuxaua Bodinho que, quem manda na tribo é o cacique e não o pajé?

Sabe o que escreveu numa carta enviada a este abestado articulista, o meu culto leitor WR? Que “o partido abriu as portas do inferno”, se referindo ao regime ai instalado.

Disse ele na missiva, “que o regime político instalado no país, a partir do “intelectual” da USP, passando pelo “intelectual” barbudo e “conferencista” de escol, implodiu o sistema sócio-jurídico brasileiro, com a introdução sórdida de leis alienígenas, na maioria das vezes exigidas por grupelhos apaniguados de interesses estrangeiros. Leis penais repulsivas foram votadas pela base mensaleira, aprovadas e promulgadas pelo sistema, apoiadas e exigidas, concomitantemente, pela mídia defensora de interesses externos.”

E WR foi além: “A “base” e seus acólitos escancaram, em quase tudo, as portas do inferno, com todo seu séquito de misérias e licenciosidades. Nem o cancioneiro popular escapou às intrujices. Introduziu-se nas emissoras de televisão e rádio, brutal propaganda de músicos e cantores estrangeiros, com o escopo manifesto de controlar a mente de jovens imberbes e de apodrecer condutas éticas.” Amanhã tem mais de WR. Afinal, é ou não, um cara que sabe das coisas?

Sabem o que me lembra a dissertação do culto WR perante o dogma ideológico do PT, (se é que na administração atual se sabe o que é isso?) Me recorda simplesmente o trabalho que o ministro das comunicações da Alemanha nazista, Paul Joseph Goebbels, que serviu ao ditador Adolf Hitler, fazia para enganar a ignara massa da juventude em meados da década de 30, na Alemanha, que em 38 declarou guerra ao mundo.

Goebbels era um expert em fazer mágica com as palavras e jogos gramaticais para incentivar a juventude hitlerista. Ele levava a massa de jovens ao delírio extremo da ideologia nazista e a fazia amar Adolf Hitler como um Deus verdadeiro. Não quero viver nem recordar do holocausto da II Grande Guerra e, tampouco continuar nesse caos político e econômico que vivemos aqui na minha pátria amada Brasil! Pode ser que ao terminar de ler este artigo, algum impeachment contra a presidente Dilma já tenha dado entrada na Câmara Federal, através de pedidos de criminalistas ou de partidos de oposição. Quem viver verá!  Vou mimbora pra Passagardas, mesmo sem lenço e sem documento!! Vou! Fui! Inté!

Vismar Kfouri – Jornalísta, escritor e ambientalista. kfouriamazonia39@gmail.com – Blog: HTTPS:\\kfouriamazoniawordpress.com – Contatos P\palestras: 17-99186-7015.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s