Todos têm um ciclo vital para passar, até os políticos

congresso

Parece que somente os ambientalistas sabem e trabalham ativamente para favorecer a vida no planeta Terra. Nem políticos da situação e oposição, ditadores e grandes empresários mundiais, agem como se a vida deles e tudo que os rodeiam não seja mutável. Ledo engano, tudo na vida tem princípio, meio e fim.

Os políticos brasileiros dão a entender que são imortais e que vão se perpetuar no Poder. Ou lhes faltam parafusos para interligar seus parcos neurônios, ou acreditam mesmo que são imortais e viverão em franca metamorfose como as anêmonas-do-mar, pois este animal marinho, se lhes arrancam um tentáculo ou a cabeça, seus órgãos renascem e, por isso foram classificadas por alguns pesquisadores como seres  imortais.

Os ambientalistas trabalham contra o relógio para preservar a natureza e refazer o que seus semelhantes já destruíram e, por isso, criaram uma frase que virou um bordão dessa classe de profissionais e ela diz: “O campo vive sem a cidade, mas esta não sobrevive sem o campo”. Nada mais vero, respondeu o sábio seringalista Sissi do seu seringal lá das selvas amazônicas.

Se os parlamentares brasileiros que roubam descaradamente a nação acreditam que irão viver eternamente, podem tirar seus jegues da sombra. O dia a dia nos mostra que além dos grandes vultos da antiguidade que já se foram para o andar de cima, nos últimos dias, perdemos entes queridos aqui na bela e elegante Rio Preto e, em outros lugares também.

Aliás, pessoas que o Brasil inteiro chorou sua morte, como a de Luiz Carlos Miele, sepultado nesta quarta-feira no Rio de Janeiro, no mesmo dia em que também morreu o coronel reformado do Exército Brasileiro, Carlos Alberto Brilhante Ustra, aos 83 anos, em Brasília.

Este oficial da reserva do Exército foi comandante do Doi-Codi de São Paulo de 1970 a 1978, acusado de torturar jornalistas e a  atriz Beth Mendes. Muitos da esquerda devem ter exultado com esta notícia, porém, outras pessoas choraram seu passamento. Assim é a vida, salientou minha querida Santa Tambura lá dos rios, lagos e igarapés da nossa linda Amazônia.

No entanto, congressistas como o presidente da Câmara Federal, Eduardo Cunha, e o do Senado, Renan Calheiros, a presidente Dilma Rousseff e todo seu séquito, além dos ex-presidentes Lula e Fernando Henrique Cardoso, mentem desbragadamente para segurar o osso, ou melhor seus cargos, esquecendo que na vida tudo passa, tudo se transforma, conforme disse o químico Antoine Laurent Lavosier, antes de ser guilhotinado em Paris em 1794, após a revolução francesa.

Aliás, Lavosier, considerado o maior químico da história passada da humanidade, viveu 51 anos, foi incompreendido e morto na guilhotina, mas seu sucessor na história moderna, o matemático Lagrange afirmou posteriormente: “Não bastará um século para produzir uma cabeça à que fez cair num segundo”.

Sabem o que diz o filósofo Zé Praxedes lá dos cafundós das selvas rondonienses? Que é preciso saber discernir entre o esterco político nacional da atualidade e o sabor inigualável da culinária francesa, país onde se forjou verdadeiros estadistas como Charlles De Gaulle dentre muitos que até hoje pontuam no cenário mundial.

Enquanto a bola gira, aqui vivemos o pior caos político e econômico da nossa história mais recente.

Acrescentou o filósofo das selvas da Calha Norte que, apesar de antes da atual democracia, só tivermos, ao que parece uns 37 anos de liberdade democrática, mas assim mesmo, permeadas de golpes e rasteiras dos políticos tupiniquins de então. E finalizou, acrescentando, que é por isso, que não possuímos nenhum lastro de positivo para mostrar aos congressistas e executivos que estão no poder na atualidade, como por exemplo, agir com ética e moral elevada e como governar sem roubar do contribuinte.

Talvez seja por isso que o brasileiro não tem ninguém em quem se espelhar na atualidade. E, os políticos que estão no Poder, sabem disso e vão tentando e usando todos os meios jurídicos e políticos para continuarem roendo o osso em que transformaram a sétima economia mundial.

Por causa desses políticos, hoje somos um arremedo de nação que tem uma das maiores inflações da América do Sul, perdendo até da Venezuela, Bolívia e Paraguai. Só esperamos que os brasileiros não vivam a crise do desabastecimento como está a Venezuela; mas o fechamento de 34 lojas de dois dos maiores aglomerados empresariais nacionais no último mês já dá para desconfiarmos e tomarmos precauções, afirmou o velho pajé Miratinga lá da tribo dos Uru Eu Uau Uau, no interior das selvas rondonienses.

Enquanto isso, em Brasília, tudo continua como Dantes no Quartel de Abrantes, um põe a culpa no ministro da Fazenda, este diz que os parlamentares têm que aprovar a famigerada CPFM se quisermos sair do buraco em que estamos. A oposição entra com pedido de impeachment no STF, contra Eduardo Cunha e a chefe do Executivo refuta e põe a culpa nos congressistas. Todos querem a cabeça de todos. Logo, seremos o único país do mundo a ter políticos sem cabeça no Congresso Nacional e uma presidente como a da lendária mula-sem-cabeça. Arre égua! Vou! Fui! Inté!

Vismar Kfouri – Jornalista, escritor e ambientalista. kfouriamazonia39@gmail.com – Blog: https:\\kfouriamazoniaworpress.com – Contatos P\palestras: 17-99186-7015.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s