Precisamos de colo, amor, pão, vinho e honestidade

rio amazonia

Diante do quadro político, econômico, social e cultural em que o país está me recuso hoje a falar sobre os políticos que estão no poder da governança, ou dos legislativos brasileiro, tal o grau de podridão em que eles chafurdam e, como não sou parente de urubu, para conviver com carniça, não vou me referir a eles neste artigo. Vou deixá-los por conta do juiz federal Sergio Moro e do Procurador Geral, Rodrigo Janot.

Atendendo a um apelo de minha amada Santa Tambura, nesta dissertação somente vou falar sobre colo, amor, pão e vinho e, talvez, sobre Meio Ambiente, afinal a temperatura infernal que está nos assando é culpa exclusiva nossa, portanto, não adianta reclamar dela, mas dos governantes que não cuidaram como devia deste lindo mundo azul em que vivemos.

Arre égua! Recebi, por causa desta frase, até um cordial cumprimento do meu velho amigo e seringalista Sissi que vive no interior das selvas na Calha Norte.

Todavia, ele me alertou que a situação na fronteira da nossa bela e luxuriante floresta tropical continua tudo como Dantes no Quartel de Abrantes.  Ou seja, inóspitas, vulneráveis e sem vigilância alguma.

Disse ainda o Sissi, que os descaminhos que há por ela são imensuráveis e se não existissem somente o ouro, diamantes e cassiterita (minério de estanho) que saem sem pagar impostos, daria para pagar as dívidas internas e externas da nossa surrupiada nação. Acrescentou o sábio amazônida que ele tem certeza, porém não pode provar, porque a informação lhe foi repassada por garimpeiros errantes que vivem naquelas paragens, que até urânio está sendo desviado para o vizinho Suriname que, em contrapartida, manda para o território brasileiro armas, farta munição e drogas que são levadas para Belém e desta capital distribuídas para o Sul e Sudeste.

Disse um velho amigo do filósofo das selvas, o Zé Praxedes, que um ex-agente do extinto Serviço Nacional de Informação –  SNI – lhe informou que seria bom o atual serviço de inteligência nacional, a ABIN, dar uma conferida na fronteira brasileira com o Suriname.

O ex-araponga, como eram chamados os agentes do extinto SNI, informou ainda que vai mandar para este escriba um mapa do Suriname onde está plotado à caneta, as localizações geodésicas de quatro pistas clandestinas onde aterrissam aviões que veem do Leste Europeu trazendo armas e munições e, levam em troca tudo  que foi acima mencionado. Estou na espera e, como bom brasileiro vou levar ao conhecimento dos setores competentes.

Estas informações me fez lembrar de um grande espião russo, cujo nome não me recordo agora, mas que foi preso pela CIA e depois trocado por um espião americano que estava preso na famigerada ex-KGB soviética, em Moscou. Ele disse: “Na espionagem, quem ganha não são as grandes potências, mas o espião duplo.” Nada mais elementar meu caro…

Mas hoje, agora, neste momento em que meu caro leitor estiver lendo estas mal redigidas linhas, o atual quadro do meu país me deixa muito para baixo. Por isso, peço colo, aconchego, uma taça de bom vinho, amor e uma rede preguiçosa para descansar meu quase centenário cadáver outrora ambulante.

Como agnóstico, mas de bom caráter e, acima de tudo um nacionalista, democrático e moderado, vou pedir que todas as forças da mãe natureza se juntem para salvar este pobre país rico, que é roubado dia e noite por maus brasileiros e, está deixando a todos desempregados, com fome, desamparados totalmente de saúde, segurança e educação, isto na mais rica pátria chamada de Terra Brasilis. Isso é uma ignomínia!

Quando penso nos irmãos que não conseguem um osso para fazer uma sopa para seus filhos, outros sendo despejados porque não conseguiram pagar seus alugueis depois que perderam seus empregos, ou porque a fábrica em que trabalhavam fechou, meu coração sangra e se solidariza com todos eles. PQP, como dói passar por isso meus irmãos!

Quando vejo a natureza cobrar seu ônus com desprezo ao bicho homem, através de grandes tempestades, furacões, tsunamis, chuvas de granizo num lugar e, seca e fogo acabando com tudo em outro ponto, me ponho a pensar que os prognósticos científicos anunciados dias atrás pela ONU de que até 2030 as grandes potências iriam diminuir em 50% das emissões de gases na atmosfera e, que esta medida acabaria com o degelo provocado pelo efeito estufa. Me engane que eu gosto! Só se for por loira, morena, ou negra e, bem bonita!

Por que acreditar nestes governantes que provocam guerras somente para vender suas armas? Ou nos políticos que fazem de tudo para se elegerem através de mentiras e falsas promessas?

Disse o velho pajé Miratinga lá da tribo dos Uru Eu Uau Uau nas selvas tropicais da Calha Norte, que o eleitor não deveria acreditar nunca em político, pois, segundo ele, os mesmos tem língua partida. Isso no linguajar dos silvícolas quer dizer que os caras-pálidas mentem sem remorso, desde que atinjam seus objetivos. Nihil est clarior! Vou! Fui! Inté!

Vismar Kfouri – Jornalista, escritor e ambientalista. kfouriamazonia39@gmail.com Blog: https:\\kfouriamazoniawordpress.com – Contatos P\Palestras: 17-99186-7015.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s