Terror e efeito estufa dominam conferência de cúpula mundial

De nada tem servido para a humanidade o avanço tecnológico que domina todos os setores industriais, científicos e culturais das nações que formam nosso planeta, disse minha querida Santa Tambura, lá onde a onça bebe água límpida nas entranhas da maior floresta tropical do mundo. O seringalista Sissi, também lá dos peraus amazônicos apoiou a ideia.

Na Cidade Luz como é chamada a linda capital francesa, vítima há poucos dias de uma onda terrorista do Estado Islâmico, que matou mais de uma centena de pessoas inocentes, estão reunidos os principais chefes de Estado do mundo, procurando encontrar soluções para acabar com o efeito estufa e o degelo nos pólos.

Todavia, o tema climático tem ficado em segundo lugar na escala de preferência dos governantes que lá estão. O terrorismo tem sido o tema preferido dos congressistas presentes ao evento. O presidente Françoise Hollande tem dirigido suas baterias para o combate ao terrorismo que enlutou recentemente seu país com a matança de inocentes na boate Bataclan e em outros locais da Cidade Luz.

Como disse inicialmente, nem toda a parafernália eletrônica com que as grandes nações inundaram o planeta, tem servido para diminuir o efeito estufa ou por fim às guerras que matam milhares de inocentes diariamente em todos os cantos do planeta.

Por outro lado a presidenta Dilma Rousseff, talvez, devido o momento em baixa que vive na administração do Brasil, tem sido vista se esquivando de temas que compromete seu segundo mandato. Repórteres do mundo inteiro só querem saber se ela vai ficar no poder ou vai renunciar ao seu mandato ou, aguardar um possível pedido de impeachment do Congresso brasileiro.

Infelizmente ela não vive bom momento político realmente em sua vida pública. Entretanto, ela poderia usar uma arma infalível na política e na guerra. Dizem que a melhor defesa é o ataque e, nossa presidente tem tudo para melhorar sua performance em Paris. Bastaria uma promessa, mesmo que não a cumprisse de imediato, mas que diz respeito à floresta amazônica brasileira. O mundo sabe que ela vem sendo devastada por madeireiros inescrupulosos, que usam notas fiscais frias e planos de manejo fantasmas, garimpeiros que destroem a biodiversidade em busca de ouro e diamantes, grileiros de terras que esquentam documentos com ajuda de servidores gananciosos e depois vendem a área para o plantio de grãos ou de pastagens para criar gado.

E assim a maior biodiversidade do planeta vai desaparecendo e mudando o clima no mundo provocando tempestades e excesso de chuvas onde antes não chovia e seca onde antes não faltava água proveniente das correntes aéreas que vem da Calha Norte.

Nossa presidente já demonstrou em outra ocasião que é uma péssima chanceler. Ela poderia em Paris ganhar apoio político dos grandes chefes de estado mundial se, pelo menos afirmasse que ao retornar ao Brasil iria fazer um decreto-lei proibindo o desmate na Amazônia, criando a Lei do Desmate Zero Já!

Com certeza este assunto passaria a ser o ponto chave de todas as discussões e predominaria até o final do Congresso do Tempo que as nações estão discutindo conjuntamente com outro tema que é sobre terrorismo. Nada obsta que se fale sobre terrorismo, mas a reunião é para discutir o clima mundial. E pelo jeito, este ficou para segundo plano e assim o bicho homem vai destruindo o seu próprio planeta, sem dó nem piedade. Vou! Fui! Inté!

Vismar Kfouri – Jornalista, escritor e ambientalista. <kfouriamazonia39@gmail.com – Blog: https:\\kfouriamazoniawordpress.com – Contatos P\Palestras:17-99186-7015

Brasil chegou ao fundo do poço; impeachment é inevitável!

Com a prisão do senador petista Delcídio Amaral e do banqueiro André Esteves dono do banco BGT Factual, ator do cenário financeiro internacional, o caldeirão político brasileiro, que já estava quente, agora passou a ferver e a tampa da panela de pressão pode explodir a qualquer momento, lembrou minha sábia Santa Tambura lá das praias dos rios amazônicos.

A prisão do senador e do banqueiro abre novos parâmetros na política nacional e pode atingir a Presidência da República com pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff, lembra os principais órgãos da mídia nacional e internacional.

Por outro lado, o louco e desvairado cara de pau que preside a Câmara Federal, Eduardo Cunha (PMDB), em vias de ser cassado, prometeu lançar ao plenário as solicitações de pedidos de impeachment da oposição e também do ex-petista, criminalista  Hélio Bicudo.

O ex-presidente da República, senhor Lula da Silva, quando abre a boca se complica mais ainda na lama da corrupção que cobre seu partido. Disse ele que “o que Delcídio fez é coisa de imbecil”. Ai o filósofo lá das selvas da pirateada Calha Norte, Zé Praxedes, pergunta: “A afirmativa de Lula sobre o comportamento do senador Delcídio Amaral líder do seu PT no Congresso Nacional, não é uma afirmativa de quem sabe o que o primeiro fazia? Lula não afirma com isso, entre linhas, que sabia o que seu senador fazia?”

Só tem anjinhos no PT, disse o sábio seringalista Sissi lá das selvas rondonienses, o presidente do PT, Rui Falcão, é outro que deve ter as asas transparentes, todos os ladrões do partido que ele preside ou foram presos, ou estão sendo julgados na Operação Lava Jato e, não vai demorar, para ela atingir seu Lula e sua cria a presidente Dilma Rousseff, lembrou o seringalista que teve suas terras espoliadas pelo governo e recebeu papel que não serve pra embrulhar nem côco de cachorro em via pública.

Outrossim, a Operação Zelotes, da Polícia Federal, que apura os desvios da Receita Federal, indiciou no meio da semana 19 pessoas por supostas vendas de MPs, mas o caso do filho de Lula com sua empresa de marketing, que teria receptado R$ 2,5 milhões da Petrobras, corre em separado.

Todavia a ex-secretária de Comércio Exterior do MDC (Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio) da Receita Federal, Lyta Spindola, e o ex-diretor de Comunicação do Senado Fernando Cesar Mesquita, foram indiciados por suposta corrupção passiva. Até que enfim está em vigor aquela velha máxima em latim dos ‘brochardos’ jurídicos que diz: “Dura Lex Sed Lex” que traduzindo diz: “A Lei é Dura Mas é a Lei”, já estava em tempo de ser usada pra valer!

Lá dos peraus das selvas do nortão brasileiro, o pajé Miratinga, da tribo dos Uru Eu Uau Uau, ao saber através de sinais de fumaça o que anda acontecendo na grande aldeia dos caras pálidas, disse o seguinte: “Branco não tem que trocar só o morubixaba não, tem que trocar o Conselho dos Anciões todinho”, se referindo à presidente e ao Congresso Nacional. Sábio este pajé, né, não? Só falta o impeachment…

Vou! Fui! Inté!

Vismar Kfouri – Jornalista, escritor e ambientalista. Kfouriamazonia39@gmail.com – Blog: https:\\kfouriamazoniawordpress.com – Contatos P\Palestras: 17-99186-7015.

Rio Preto precisa de administração mais objetiva

Sou totalmente contrário a dois mandatos em qualquer área da administração pública. Na primeira, o eleito procura mostrar serviço, para se eleger outra vez como prioriza a lei eleitoral. No primeiro mandato ele trabalha e usa a mídia e seus assessores para mostrar que está atuando com rigor e fazendo jus ao salário polpudo que recebe, além é claro, de receber benesses das grandes empresas que venceram as maiores concorrências como é praxe dos governos petistas para cá. Nada contra ninguém, estou generalizando e sofismando o que diz meu interior, revoltado com a política atual de hoje.

Todavia, em se falando da nossa bela e altaneira Rio Preto, a administração atual está, a meu ver, devendo e muito para os eleitores que guindaram o senhor Valdomiro Lopes e seus vereadores ao poder.

Na Câmara Municipal, nos parece que existe apenas um vereador e, o mesmo nem é de um partido que hoje sobressai nacionalmente, pelo contrário, mas ele é o único soldadinho com o passo certo. Os demais apenas aplaudem e se curvam diante das solicitações que o alcaide necessita para tocar suas grandes obras que não atingem as periferias sofridas da cidade.

O centro da cidade parece um mercado persa com as praças antigas necessitando serem revitalizadas e os calçadões devem ser ambientalizados com verde e flores ornamentais. Nas grandes avenidas da Região Norte, o patinho feio de Rio Preto, diz o sábio Sissi lá dos seringais amazônicos que, quando veio aqui passear, ficou abismado pela falta de verde nas ruas e avenidas dos bairros mais humildes da periferia. Até minha Santa Tambura com seus dois neurônios concordou com ele.

Segundo ele, faltam áreas verdes com estruturas para os munícipes passarem bons momentos com seus filhos e amigos. Além da represa, ele não encontrou um parque verde com um laguinho pra dar banho num casal de lambari, quanto mais mitigar a sede da fauna que hoje procura a área urbana porque a rural está sem água e totalmente pulverizada por agrotóxicos. Tem razão meu amigo Sissi, e já vimos dias destes que as obras antienchentes não funcionaram porque, segundo o secretário de Obras, elas não estão totalmente prontas. Vamos aguardar seu final e ver se na primeira grande enxurrada ela vai funcionar, afinal, a obra custou muitos milhões de reais tirados dos impostos dos contribuintes. Se não funcionar, vamos cobrar, estamos de olho!

Outrossim, se estamos no verão e está chovendo como está agora, o que vai ser dos grandes buracos nas ruas da cidade quando São Pedro resolver abrir as torneiras pra valer? Que tal construir uma boca de lobo naquela estrada municipal asfaltada que vai ao bairro Santa Clara e deixar a água escoar para o pasto ao lado? A Prefeitura vai esperar a água acumulada acabar com o asfalto para depois mandar consertar? Acredito que, se o prefeito pedir com jeitinho para a Constroeste, ela vai lá e num dia resolve direitinho este grave problema que, quando chove muito, impede o trânsito nos dois sentidos, sem falar do barro e pedras que descem do bairro da Santa Clara. O bairro não está legalizado, mas os títulos de eleitores estão, e quando chegar a próxima eleição as ruas vão estar arrumadinhas para os políticos transitarem em busca de votos? Quem viver verá! Vou! Fui! Inté!

Vismar Kfouri – Jornalista, escritor e ambientalista. Kfouriamazonia39@gmail.com – Blog: https:\\kfouriamazoniawordpress.com – Contatos P\Palestras: 17-99186-7015.

Precisamos mudar os urubus urgentemente

Com a prisão do senador Delcídio do Amaral, líder do governo no Congresso Nacional nesta manhã de quarta-feira, juntamente com o banqueiro André Esteves por causa de uma gravação feita por Bernardo, filho de Nestor Cerveró, com o conluio do advogado Edson Ribeiro, também preso preventivamente por determinação do Supremo Tribunal Federal, a  Santa Tambura está perplexa com o inusitado fato, assim como o resto do país.

Segundo o que apurou a imprensa nacional, quando Nestor Cerveró estava negociando com a Justiça Federal a delação premiada, o líder do governo petista no Senado Federal, Delcídio do Amaral, PT (MS) teria oferecido uma mensalidade de 50 mil reais mensais para que o executivo preso pela Operação Lava Jato não fizesse o acordo pois, tal fato sem dúvida, iria chegar até ele como acabou realmente chegando e, ele e o banqueiro André Esteves estão vendo o sol nascer quadrado.  

Quem diria que um dia veríamos a Justiça brasileira mandar prender um senador da República numa rapidez desta, sem sofismas e passando por cima dos meandros jurisprudenciais? Questionou o filósofo Zé Praxedes e seu amigo seringalista Sissi, lá das entranhas das selvas amazônicas. Me belisca, pra ver se não estou sonhando, teria perguntado o dito vulgo que também não acredita! Acorda Brasil!

Todavia, o Brasil não é o país do milagre brasileiro do governo militar. No entanto, não dá para entender por que os petistas e os demais partidos de esquerda fizeram a revolução, lutaram, mataram e morreram para mudar o regime e, agora está tudo como Dantes no Quartel de Abrantes? Dos dois regimes gostaria de saber quem foi o mais honesto. Lembro que para fazer o sepultamento do ex-presidente João Batista Figueiredo, os amigos e colegas tiveram que fazer uma “vaquinha” para custear o velório e o sepultamento. E se o Lula morresse hoje, a família precisaria recorrer aos amigos para fazer seu velório? Nem aqui e nem em Piriquitiba do Norte!

É por essas e outras que estão pedindo a prisão de Lula e de seus filhos e aliados, nos saques feitos pelos executivos da Petrobras, com a participação de doleiros e levados ao Partido dos Trabalhadores e ao Instituto Lula, para que o ex-presidente pudesse fazer palestras milionárias pelo mundo afora.

Enquanto isso, nada se fala da participação da presidente Dilma Rousseff na compra da refinaria “ruivinha” de Pasadena nos Estados Unidos, quando ela chefiava o setor responsável pelas negociações dentro da Petrobras. Ela vai se responsabilizar pelo prejuízo junto ao contribuinte brasileiro?  Isso sim, é uma ignomínia!

O Governo Federal deveria também dar uma nota oficial à Nação, responsabilizando a Vale e sua subsidiaria a Samarco, pela destruição do Rio Doce, mas o que se vê, são noticias desencontradas e até o momento tem famílias alojadas em hotéis e locais improvisados, quando a empresa, por obrigação teria que levar estas famílias para lugares definitivos.

Ainda bem que o brasileiro é gente solidaria, quer do Sul ou Norte, todos nestes momentos se socorrem, não esperam o governo fazer acontecer. São caminhões de produtos da solidariedade chegando em Minas Gerais e Espírito Santo com ajuda, por que, se depender da presidente Dilma e de seu governo corrupto e incapaz, nossos irmãos estariam em piores situações  no momento.

É bom a presidente colocar suas roupas de molho quanto às Olimpíadas, falar menos de problemas relacionados a fatos que não nos pertence, por sermos um país laico, ou ela irá melar a segurança no já desgastante Rio de Janeiro quando se refere a segurança pública. Volto a repetir que caldo de galinha e pirão de peixe não faz mal a ninguém, nem aqui e nem na pirateada e saqueada Amazônia brasileira. Vou! Fui! Inté!

Vismar Kfouri p Jornalista, escritor e ambientalista. kfouriamazonia39@gmail.com  – Blog: https:\\kfouriamazoniawordpress.com – Contatos P\Palestras: 17-99186-7015.

Dilma pode colocar o Brasil em perigo internacional

A presidente Dilma Rousseff anda falando o que não sabe sobre segurança mundial na reunião do G-20 e pode colocar o estado brasileiro em perigo. Sobre os últimos atos terroristas praticados pelo Estado Islâmico em Paris e em Bali, onde mais de uma centena de vítimas inocentes tiveram suas vidas ceifadas por extremistas desta organização do islã, ela apenas sabe o que viu na mídia. É de bom alvitre que o próprio Islã tente resolver a situação através de uma mudança que os próprios seguidores e clérigos da religião esperam fazer há séculos.

Agora, numa reunião das 20 maiores potências mundiais, a dona Dilma que não sabe nem governar internamente seu país e o colocou no bico do urubu, tenta dar uma de chanceler como se tivesse cursado o sagrado templo do Instituo Rio Branco e, dá palpites que podem incandescer os ânimos dos seguidores do islã.

Como presidente da República, ela deveria, deveria não, ela tem obrigação de saber que o Brasil tem sua Constituição, prega um Estado Laico, isto é, dá o direito de todas as religiões realizarem suas pregações e seguirem seus dogmas religiosos com liberdade de expressão e pensamento e, em franco convívio entre elas.

Um leitor assíduo desta coluna, professor de educação física de um colégio estadual, que pediu para não ser identificado, de conduta ilibada e conhecimento cultural altíssimo, foi o autor da pergunta que suscitou o tema do artigo em epígrafe. Nada mais justo meu guru, que, na minha parca e modesta enciclopédia mental de que disponho, procure ser mais pragmático que o normal e responda com maior assertiva que erros às vossas suscitações duvidosas.

Se lembrarmos bem das histórias religiosas que movem o mundo e remontam há séculos, entendendo a Teoria de Charles Darwim, sobre sua Tese da Evolução, chegamos à conclusão que as primeiras religiões chegaram junto com o homus erectus quando ele ao começar a andar sobre apenas duas patas, se aglomerou em cavernas para se livrar do medo do trovão, do raio, do fogo que os raios provocavam e das feras de grande porte que se alimentavam deles. Estava formada a primeira sociedade com cérebros privilegiados! Seus cérebros se desenvolveram e eles evoluíram até se tornarem o homus sapiens e, devido o medo dos elementos naturais, criaram para cada um dos fenômenos da natureza, um Deus.

Todavia, segundo meu amigo e sábio seringalista Sissi, lá dos cafundós das selvas amazônicas, disse que é bom recordar que tudo que abunda pode prejudicar. Quem não se lembra da época de ouro da Igreja Católica Romana que dominou o Velho Mundo e, na era medieval, criou a inquisição que matava mais que malária hoje? E aqui no Nordeste o fanático Antonio Conselheiro?

E os Templários faziam o que no Oriente Médio? Doavam santinhos? Ou matavam mulçumanos em nome da Igreja ou de seu Deus? Ou apenas saqueavam as riquezas dos árabes? Nada disso, queriam impor o dogma da Igreja Católica e converter todos nativos daquela velha e civilizada terra das mais antigas desde os primórdios da civilização. Cada um com seus usos e costumes! Caso contrário é uma ignomínia como fazem hoje os extremistas mulçumanos.

Os filósofos e cientistas céticos afirmam que se existem Deus e Deuses, é porque a humanidade necessita deles para dosar os atos dela, para mais ou para menos. Não é uma presidente ignorante em política internacional que vai colocar a segurança interna do Brasil por falta de conhecimento cultural sobre o assunto. Deixe o assunto para o Itamarati!

Como já disse, o Brasil é um país laico, aqui tem todas as raças do planeta e suas religiões que atuam livremente. Só de imigrantes árabes e seus descendentes todos nós, e eu me incluo neste índice, somos mais de 12 milhões ao todo, como iria ser, se de repente, o Brasil passasse a perseguir e impedir este ou aqueles descendentes de praticaram sua religião?  Segundo minha Santa Tambura, lá dos paranás da linda e pirateada Amazônia, seria um salve-se quem puder! Vou! Fui! Inté!

Vismar Kfouri – Jornalista, escritor e ambientalista. kfouriamazonia39@gmail.com blog: https:\\kfouriamazoniawordpress.com – Contatos P\Palestras: 17-99186-7015. 

Brasil:falta serviço de inteligência

O desastre de Mariana e a corrupção na Petrobras poderiam ser evitados se no Brasil tivéssemos um serviço de inteligência bem preparado. Toda nação rica e de dimensões continentais deve ter um Serviço Secreto à altura para ajudar na defesa de seu território e também monitorar os problemas domésticos e ajudar a evitar catástrofes. Isso até minha Santa Tambura lá dos cafundós da nossa pirateada Amazônia em suas fronteiras sabe.

Todavia, depois do governo militar, os partidos de esquerda que governaram ou desgovernaram esta Terra Brasilis, pouca importância deram para a Segurança Nacional, deixaram sucatear nossas forças armadas e extinguiram o Serviço Nacional de Informações, o SNI – que poderia ser moldado futuramente para servir aos tempos modernos.

Em 1999 ele foi extinto e, criaram a Agência Brasileira de Informações – ABIM – mas nenhum governo de esquerda ou de qualquer outra ideologia aplica nela os recursos humanos e técnicos capaz de fortalecê-la e torná-la eficiente ao ponto de levantar tudo que for preciso em tempo para manter a segurança interna e a paz social da federação. Isso é uma ignomínia!

Toda grande nação necessita ter um bom Serviço Secreto, não para torturar e manter políticos contrários ao regime em porões, mas para levantar fatos que possam gerar incômodo mesmo na administração do país, entre eles, catástrofes anunciadas como a de Mariana ou o terrorismo praticado recentemente por extremistas islâmicos em Paris.

Em que pese o SNI ter servido ao regime militar e ter sido usado para repreender e torturar, ele poderia ter sido modificado devido a estrutura nacional e internacional que detinha na ocasião. Bastava, disse o sábio seringalista Sissi, lá dos peraus da Amazônia, separar o joio do trigo. Na sua época, o SNI tinha nas grandes autarquias e órgãos federais as famosas ASI, nada mais que agências de serviço de inteligência que evitava descaminhos e faziam os trabalhos fluírem bem, ao contrário de hoje no serviço público onde os funcionários ganham bem e acham que os contribuintes é que devem ser subservientes a eles. E ainda são indolentes em sua maioria.

Além do mais o SNI trabalhava nas fronteiras inteiras do país levantando dados e apontando saídas de contrabando e, isso obrigava as forças armadas a atuarem e evitar o contrabando de minérios pesados como ouro, diamantes, café, madeira, estanho, e produtos da flora e da fauna. Hoje, as fronteiras estão escancaradas e por elas entram armas e drogas para abastecer o crime organizado e o governo está mais perdido que cachorro que caiu do caminhão da mudança.

E, para piorar, a ABIM necessita de maiores recursos financeiros,  técnicos e humanos para se adequar as premissas que o momento nacional e mundial obrigam as grandes nações a se protegerem. Oxalá o governo federal se lembre com maior carinho desse importante órgão, pois país que se presa deve ter um bom Serviço de Inteligência.

Além do mais, nossa valente Polícia Federal necessita dobrar seu efetivo se quiser continuar sendo responsável pelos nossos portos, aeroportos e fronteiras. O mesmo deve fazer as polícias civil e militar dos estados, além de serem melhores remuneradas para não se submeterem à corrupção que o crime organizado as tentam.

No entanto, lembrou o filósofo Zé Praxedes lá das entranhas das selvas amazônicas, que caldo de galinha e pirão de peixe não fazem mal a ninguém e, se os estados e a federação puderem dobrar os salários dos mestres da educação de base, o futuro Brasil vai agradecer muito, pois é com boa forja que se faz o bom aço. Vou! Fui! Inté!

Vismar Kfouri – Jornalista, escritor, ambientalista.< kfouriamazonia39@gmail.com. Blog: https:\\kfouriamazoniawordpress.com – Contatos P\palestras: 17-99186-7015.

Eram os deuses astronautas?

Com a terra sendo devastadas pelo efeito estufa que provoca o degelo, as tempestades tropicais que jorram granizo onde antes apenas chovia normalmente em épocas certas e esperadas, os ambientalistas, devido o desvairo industrial e a ganância de ganhar dinheiro, perguntam? Até quando a Terra vai suportar tanta violência contra ela?

O clima está aumentando na mesma proporção que aumenta a ganância de governantes e empresários por industrias, pastos para engordar gado e desmatamento para plantar mais grãos. E a temperatura está subindo dois graus gradativamente e as cidades litorâneas estão correndo o risco de submergir como aquele submarino da Marinha Brasileira que estava fazendo uma exposição para turistas na baia de Guanabara e foi à pique porque um marinheiro deixou uma válvula aberta.

Vamos apelar a quem? O capeta quer que o mundo acabe em fogo e, com tantas guerras no mundo, ele vai conseguindo. Os loucos do Estado Islâmico estão ai para acender o estopim como fizeram recentemente em Paris onde mais de uma centena de inocentes pagaram o ônus da liberdade com suas vidas ao serem metralhados friamente numa ação covarde.

Só nos resta apelar aos Deuses Astronautas do passado, que, conforme diz os experts, eles nos deixaram aqui na Terra para servirmos de cobaias e povoá-la, nunca mais voltaram. Nem sabem se evoluímos ou involuímos.

Nenhum Deus do passado ou do presente quer descascar este abacaxi que virou a Terra. Quem vai ter que descascá-lo seremos nós mesmos! Como?

Perguntem aos Deuses

Vou! Fui! Inté!

 

Mariana: Quem vai pagar a conta?

Dizem técnicos especializados em desastres ambientais, entre eles vários ambientalistas de renome que não vale a pena enumerar para não provocarmos celeuma ou injustiça com esquecimentos de um ou outro, quando nos referimos ao desastre de Mariana-MG, recentemente, quando as barragens de uma subsidiaria da Vale se romperam destruindo cidades, vilarejos e matando pessoas adultas e crianças no seu rolamento pelo leito do Rio Doce.

Se, houvesse leis especificas com penas rígidas, onerando proprietários e engenheiros responsáveis por lagoas com rejeitos de minerações, quem sabe as barragens da Vale seriam mais fiscalizadas e com maior rigor este desastre poderia ser evitado e, tanto as vidas como o rio Doce estariam salvos.

Hoje, a certeza que temos, é que o Rio Doce jamais será o mesmo. A missão de torná-lo normal e capaz de abastecer de água potável as cidades de Minas e Espírito Santo, está longe ou impossível de acontecer. O que será que vai acontecer com nossos irmãos destas cidades?

Para torná-lo normal novamente, precisaríamos de limpar seu leito de rolamento, replantar suas margens ciliares e esperar décadas até que seu nível de quantidade e qualidade volte ao estado de uso novamente. E o que fazer com milhares de vidas que dependem dele para subsistirem?

O que fazer para solucionar o problema em curto prazo? Nada a fazer dizem técnicos do DNPM, tudo é a longo prazo e, até lá, quem vai se responsabilizar pelo prejuízo material e humano que o desastre causou? Em país evoluído, o Governo Federal seria responsabilizado juntamente com o órgão responsável pelas fiscalizações. Cairiam cabeças de engenheiros, geólogos, executivos e até perda de concessão mineral da mineradora e, possivelmente até a cabeça do presidente do pais poderia rolar.

Mas como aqui é Brasil, Tudo Fica Como Dantes no Quartel de Abrantes. E o Zé Povinho que se….!

Só desejo que tanto a Vale quanto o Governo Federal se juntem imediatamente e resolvam minimizar com urgencia o sofrimento de nossos irmãos mineiros e capixabas. Vou! Fui! Inté!

Eu mesmo! Vismar Kfouri

Estão usando planos de manejos trocados

No Sul do Amazonas com  Rondônia, nos municípios de Humaitá, Apui, Canutama, Lábrea e Boca do Acre, caminhoneiros estão saindo com notas de Plano de Manejo de outros locais. Elas só são levadas aos motoristas quando estes estão já milhares de quilômetros do local da extração. Há falta de fiscalização e possível conluio de autoridades como já provei anos atrás quando o IBAMA de Brasília foi acionado por mim e fechou uma dezena de serrarias e encontrou latifundiários semeado grãos com aviões, em grandes extensões de áreas derrubadas compradas de grileiros e esquentadas no INCRA.

Se quisermos evitar o desmatamento da Amazônia, temos que colocar funcionários públicos sérios, nos locais certos e manejá-los constantemente para evitar a corrupção. Vou! Fui! Inté!

AMAZÔNIA PRESERVADA SOMENTE COM DESMATE ZERO, JÁ!

Santa Casa Santa!

anjo

Hoje não quero choro, nem vela, quero uma fita azul no lugar da amarela. Não quero lágrimas de crocodilos, quero lágrimas de felicidade, quero brindar a vida e o amor. O mesmo deseja minha amada Santa Tambura lá nos confins da minha pirateada Amazônia. Homens deixem o preconceito de lado e troque-o pela vida, faça o teste da próstata e deixe a alegria fluir…

Já vou avisando a minha meia dúzia de leitores que não vou falar do vigarista do presidente Eduardo Cunha, da Câmara Federal, e seus milhões no exterior, do maior palestrante que este país já viu, um ignorante e inculto tal de senhor Lula da Silva, de nossa presidente da República que só sabe assaltar bancos e põe a gente prá pagar a conta.

Não quero falar de Operações Zelotes e nem da Lava Jato, sei que estão caminhando, mesmo a passos de tartaruga. Não quero ouvir falar de greve de caminhoneiros e, se ela vai trazer desabastecimento ao país, afinal, moro na chácara “A Toca do Guerreiro,” onde tenho minha Santa Tambura e o seringalista Sissi e família por companhia e, não faltam ovos e nem galinha caipira na panela.

Hoje, quero comemorar a vida, a minha saída do bico do urubu e a alegria de estar com minha saúde de volta. Mas como dizem os que acreditam em Deus, ele botou a mão em mim e falou “fique mais um tempo por ai que não sei o que fazer com tu aqui, por isso vou te mandar um bando de anjos vestidos de branco para te ajudar a sair do bico do urubu, mesmo tu não merecendo”. Sei disso e agradeço do mesmo jeito, uai!

E o Pai me mandou um bando de anjos vestidos de branco. Dizem que os anjos não têm sexo, mas os que me salvaram têm, e vou dar nomes de alguns, me desculpem aqueles que não recordo no momento. Meus anjos foram as médicas e médicos do centro cirúrgico da Santa Casa (Guerreira) de Misericórdia de Rio Preto, cujos nomes que me recordo são: doutoras Natiele, Paola, Fernanda e Ana Luíza (nefrologia) e, vários enfermeiros e enfermeiras cujos nomes no momento me recordo do Renan Henrique de Oliveira e da incansável Daniela Alves Malumbres.

A todos estas bravas e bravos guerreiros meus sinceros agradecimentos. Sei que fui um paciente meio chato e resmungão, mas desejo através deste blog desejar que todos, indistintamente, do mais alto escalão aos de menores feitos na hierarquia, colocar ao redor de cada um de vocês, o meu abraço arrochado com a força da sucuri da minha amada Amazônia que,  quando pega uma boa presa, não deseja mais largar.

A última vez em que estive na Santa Casa de Rio Preto foi em 72 quando num primeiro de janeiro fui acidentado pilotando um Karmanguia vermelho há uma quadra deste laureado nosocômio e também me sai bem.  Aliás, falando em sair bem, é o que desejo ao meu colega de infortúnio, o técnico em prótese, Claudemiro Alves da Silva que chegou à Santa Casa levado no bico do urubu por causa de uma úlcera estourada e, em menos de 15 minutos uma excelente médica o levou para a sala de cirurgia e salvou sua vida. Quero aqui desejar que ele tenha uma ótima recuperação e volte logo aos braços de sua querida Aremita Barros da Silva com quem tem quatro filhos maravilhosos.

Entenderam minha meia dúzia de leitores fieis porque não quero hoje falar mal destes políticos desavergonhados? Para quê? Né, não? Se posso falar bem da minha, nossa e de todos, a Santa Casa Santa de Rio Preto, porque não parabenizar seu corpo de funcionários?

Gostaria de ter feito um agradecimento pessoal ao dirigente maior desta bela Santa Casa, mas não tive o prazer de conhecê-lo, caso contrário, iria pedir para ele mandar colocar uma pitadinha de sal na comida dos enfermos e TVs para que funcionem, mesmo com faixas liberadas, para ajudar o tempo passar melhor. Não falei que eu era um paciente chato e resmungão? Vou! Fui! Inté!

Vismar Kfouri – jornalista, escritor e ambientalista – kfouriamazonia39@gmail.com – Blog:https:\\kfouriamazoniawordpress.com – Contatos P\Palestras: 17-99186-7015.