Leis sérias, país mais justo

O Brasil passa por momento altamente conturbado em sua política administrativa e econômica, mercê de homens e mulheres engajados em partidos sem ideologia alguma. A não ser, disse nossa querida Santa Tambura, lá dos rincões amazônicos, quando se unem para roubar o dinheiro dos impostos pagos com sangue, suor e lágrimas pelos munícipes que, na atualidade estão desempregados e sem acesso a boa alimentação, segurança pública, saúde e escola de qualidade. É repetitivo? É! Mas o macaco ta certo!

De décadas em décadas, vivemos um momento difícil, uma crise política e econômica, já repararam? Mas de tamanha dimensão como a atual há pelo menos umas três ou mais décadas que não víamos.

Disse o sábio Sissi, lá do interior rondoniense, que hoje estamos sabendo mais dos estragos feitos por políticos de todos os escalões, porque, diga-se de passagem, o Judiciário se auto moralizou e está cumprindo fielmente seu papel na balança que mede o peso dos transgressores, sem distinção alguma e dá sentenças duras, mas justas, pro ou contra, não importando o grau do crime ou de quem o praticou.

Finalmente, acrescentou o filósofo também lá das selvas da Calha Norte, o Zé Praxedes: “o velho jargão latino, Dura Lex Sed Lex, está fazendo história hoje, antes, era simplesmente um jargão que os advogados usavam para enfeitar suas petições”. Mais uma vez está certo o macaco, diria o saudoso jornalista e crítico Stanislaw Ponte Preta, que fez história no jornalismo nacional décadas atrás, sem medo e com humor e inteligência.

A última ação da Operação Lava Jato deixou explícito que não há político pro ou contra este ou aquele partido, seja de esquerda, centro ou de direita, todos têm alguém mancomunado com os executivos da Petrobras e das grandes empreiteiras que desviaram bilhões de reais da maior empresa nacional, que foi a décima no ranking mundial.

Vai ficar difícil para o PT escapar incólume das últimas acusações contra seus maiores personagens que abrange o governo Dilma e de seu antecessor senhor Lula da Silva.

Além de pessoas próximas e outras que pegaram pesado no desvio de verba que patrocinou as campanhas vitoriosas destes dois à Presidência da República, que se dizem trabalhistas, mas está se comprovando que tudo foi feito com dinheiro surrupiado da Petrobras e com apoio do TSE, que colocou selo de qualidade na dinheirama registrada como doação de campanha para as eleições.

Enquanto isso, as cadeias do Brasil estão abarrotadas por presos que roubaram uma galinha e, a maioria nem julgada ainda foi. Isso é uma ignomínia!

Os marqueteiros de Lula e Dilma Rousseff, João Santana e sua mulher Mônica Moura (foto acima), chegaram da República Dominicana onde estavam fazendo a campanha a reeleição do atual presidente e já estão presos em Curitiba. Outro preso esta semana na Suíça, Fernando Miggliacio, executivo da empreiteira Odebrecht, também foi preso lá e deve ser trazido para ser julgado também pelo juiz federal Sergio Moro, que comanda a Operação Lava Jato. Lula continua negando que o sítio de Atibaia-SP e o tríplex de Guarujá também não são dele. É seu? Não? Nem meu! Vou! Fui! Inté!

Vismar Kfouri – Jornalista, escritor e ambientalista, Kfouriamazonia39@gmail.com – Blog: https:\\kfouriamazonia.wordpress.com – Contatos P\Palestras: 17-99186-7015.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s