Brasil foi rebaixado pra bumbum de sapo

Políticos neste país que Cabral encontrou por acaso com suas três caravelas abarrotadas de degredados e criminosos expulsos de Portugal em 1500, parece que mantém os genes dos desbravadores até agora. Quem disse isto foi a Santa Tambura lá dos cafundós da velha, bela e pirateada Amazônia.

Também pudera, ponderou o velho e sábio seringalista Sissi lá do interior rondoniense, onde, anos atrás ficou sem suas terras desapropriadas para a Reforma Agrária. “Quem vai acreditar em políticos caras de paus que vão à televisão em rede nacional para tentar explicar o inexplicável sobre o que fizeram de errado, pensando que todos os brasileiros de hoje são ignorantes e não estão ligados nos acontecimentos nacionais e internacionais?”.

 Ele só não disse que em troca de suas terras recebeu papeis que até hoje só servem para fazer uma coisa. Se tu caro leitor pensou pra que servem os precatórios federais, tá certo, só servem  pra isso mesmo.

O marqueteiro atual do PT errou feio ao pensar que Lula, Rui Falcão e outros comparsas do diretório deste partido simplesmente iriam mentir novamente em rede nacional de TV e receber aplausos e mudar o sentimento de um povo espoliado, roubado, vilipendiado pelas duas administrações deste partido que somente enganou e mentiu durante os últimos  13 anos.

O panelaço que receberam como “prêmio” durante o horário eleitoral gratuito na última terça-feira de todas as capitais e de várias cidades brasileiras, foi pouco, disse o filósofo Zé Praxedes, lá das entranhas molhadas e gotejantes da luxuriante Amazônia, cujas fronteiras continuam sem vigilância e por onde escapam nossas principais riquezas minerais, da flora e da fauna.

Enquanto as doenças vencem o descaso das autoridades federais, estaduais e municipais, de Norte a Sul, simplesmente porque o dinheiro foi desviado dos hospitais por prefeitos, governadores e demais políticos que se unem em quadrilhas para semear ódio e discórdia e mortes de inocentes contribuintes.

Com atitudes ilícitas não sabem que semeiam também o ódio, porque deixam à mercê da própria sorte milhares de vítimas de câncer e de outras doenças terminais sem receber tratamento digno em hospitais sem médicos, enfermeiras e de todo tipo de remédios, simplesmente porque a verba foi desviada ou usada para finalidades criminosas?

E quando chega a nova eleição ainda têm a coragem de irem à casa dos eleitores pedir votos para a reeleição. Os políticos de hoje usam óleo de peroba para lavar suas caras, como fazem Eduardo Cunha, Renan Calheiros, Collor de Mello, Delcídio do Amaral, Lula, Dilma, Aécio, Palocci, Maluf e tantos outros que ainda não foram presos pela Operação Lava Jato.

Precisamos ficar atentos para matar as ervas daninhas, antes que elas tomem conta de nossa lavoura. Aliás, quem disse isso há milhares de anos foi o sábio filósofo e pensador Confúcio (foto acima): “Não são as ervas daninhas que matam a semente. Quem mata a semente é a negligência do lavrador.” Ele está certo até hoje, principalmente aqui no Brasil onde precisamos matar as ervas daninhas da política brasileira aprendendo a votar com responsabilidade. Vou! Fui! Inté!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s