A política como ela é no momento

Nos últimos dias temos assistidos impávidos e temerosos o que vem acontecendo aqui & acolá neste mundão de meu Deus. São tantas catástrofes naturais, guerras, genocídios, a revolta da mãe natureza contra seu maior predador, o homem, que chego a pensar que meus netos e os filhos de seus filhos não terão um porvir risonho devido o descaso dos grandes mandatários mundiais da atualidade. Arre égua!

Saibam que não foi apenas minha Santa Tambura que concordou comigo não. Os coleguinhas do diário DHoje Interior também concordaram já que são excelentes profissionais e acompanhando tim tim por tim, o que está acontecendo aqui & acolá. O mesmo devem pensar meus colegas de lá. Com certeza o Euro, o Lucio e os demais profissionais de alto nível que fazem o brilhante diário e centenário Alto Madeira na excitante capital do Estado mais pujante da Calha Norte.

Todos, sem exceção, desde o seringalista Sissi, o filósofo Zé Praxedes, o Nézim Manguaça, o pajé Miratinga e o coronel Totó concordaram em gênero, número e grau. Que o bicho homem está acabando com o planeta está sim senhor. Que o Brasil não cuida da Amazônia e de seus povos tradicionais da mais bela floresta tropical do mundo, também.

O morubixaba Mapinguari alertou que a política em sua tribo é melhor que a de Brasília. O que seu Conselho de anciões decide ele acata e coloca em andamento. São apenas medidas que vão beneficiar sua tribo onde vivem seus curumins, jovens guerreiros e suas mulheres ordeiras e trabalhadoras.

Disse ainda o grande cacique que no governo do branco tudo é na base da troca-troca, do dá cá, toma lá. O grande cacique branco não tem força pra governar sem negociar e, sempre quem sai perdendo, é o Zé Povinho que os escolheram através dos votos. Azar deles, disse o guerreiro da bela floresta tropical da Calha Norte, acrescentando que ouve sempre dos brancos a mesma frase: “cada povo tem o governo que merece,” pois  quando chega as eleições, os brancos trocam seus votos por perucas, dentaduras, telhas, panelas de pressão, cesta básica e, acabam elegendo os mesmos larápios de sempre para mandar na nação branca. É vero…

O velho seringalista Sissi, lá do interior rondoniense disse ao também amazônida e filósofo Zé Praxedes, que no momento deveria ter novas eleições, uma vez que os movimentos tanto pró como contra o governo provisório de Temer, são assessores aspones, aqueles que ganharam cargos de confiança altamente remunerados e nunca trabalharam. Por isto estão nas ruas, não querem perder as gordas tetinhas governamentais.

E, disseram ainda o pessoal de lá, que estes movimentos, tanto de esquerda como de direita, agem com medo de ficar sem a carniça, já que são autênticos urubus, mas não como os verdadeiros que são úteis dentro do sistema do meio ambiente onde vivem. Caracas!  

E mais, completaram que, o erro do presidente interino foi colocar raposas para tomar conta do galinheiro. Onde se viu um Romero Jucá (já foi afastado do governo) e outros investigados na Operação Lava Jato como ministros? Como diria o ex-presidente Jânio Quadros: “fez porque qui-lo” daí que fica aquela incógnita que os jornalistas profissionais estão analisando: “Será que ele vai até o fim das investigações da presidenta Dilma”? Vou! Fui! Inté!

Vismar Kfouri – Jornalista, escritor e ambientalista. kfouriamazonia39@gmail.com – Blog: https:\\kfouriamazonia.wordpress.com – Contatos P\|Palestra: 17-99186-7015.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s