Aqui @ Acolá

                    Mais um ano de angústia para o Brasil

                                                  

Qualquer articulista que se preza, futurólogo, cientista político ou vidente, por melhor que sejam, só sabem uma coisa sobre o futuro do país no que tange sua administração desde o início do governo petista ou, quiçá, dos tucanos também. Tudo é incerto, Temer pode dar certo e pode também não dar.

O Brasil acompanha o caos que impera no resto do planeta. Mas pra nós só interessa responsabilizar quem riscou nosso novo carro aqui, do que milhares de mortes que assistimos impávidos pelo mundo diariamente através da mídia internacional.

Mais um ano se finda e com ele a esperança dos brasileiros que não vislumbram a curto prazo uma luz no final do túnel. Aliás, daqui do antes chamado Sul Maravilha, nem o saudoso Stanislaw Ponte Preta teria meios de fazer uma caricatura dos maus políticos que estão no Poder.

Não haveria espaço na mídia disse o pajé Miratinga lá da tribo dos Uruê Uau Uau, nos confins das selvas rondonienses. O Nézin Manguaça é que parece estar certo ao dizer: “o que importa é não faltar manguaça na cuia, peixe frito na beira dos igarapés e farinha de puba pra fazê o xibé”. O macaco tá certo…

Acolá, segundo meu filho Júnior que mora em Porto Velho e trabalha no Tribunal de Justiça de Rondônia, este Estado em que dei uma pequena parte de minha vida para criá-lo, juntamente com uma plêiade de bons jornalistas, uns já estão no andar de cima e outros ainda mourejam nos teclados diariamente para tirar o sustento de suas famílias e informar os rondonienses do que se passa nas esferas administrativas, pois somente assim, o cidadão desiludido de hoje pode ou não fazer suas conjecturas sobre o futuro do seu estado ou do país no seu todo. Este navega como um navio sem comando, com o leme que dá direção, totalmente avariado deixando os passageiros angustiados com o futuro.

Assim pensamos nós da mídia daqui do Sul e, com certeza os grandes jornalistas de acolá pensam igualmente. Assim disse o seringalista Sissi e o filósofo das selvas, o Zé Praxedes, que espera encontrar a Amazônia intacta quando forem no dia 15 de abril comemorar os 100 anos de fundação do prestigiado e imbatível jornal “Alto Madeira” e beber uma manguaçazinha com o querido amigo Euro Tourinho (foto acima) e seus colaboradores mais fieis. Vou! Fui! Inté!

Anúncios