Amazônia perto do fim

Estive recentemente no Sul do Estado do Amazônas, mais precisamente no município de Humaitá, por onde passa a BR-230 a Transamazônica e, depois de um grande período ausente, fiquei estarrecido com o que vi. Onde há menos de uma década havia belas árvores na selva, principalmente na divisa com a tribo do índios Tenharins, hoje impera a destruição e uma ganancia desenfreada por madeira, pastagens e grilagens por terras agricultáveis. A ausência do Governo Federal continua  Tudo Dantes como no Quartel de Abrantes. A FUNAI desde que foi incendiada segundo uma velha índia me confidenciou, ninguém sabe onde anda, para que serve ou se existiu de fato.

E os grandes chefes das maiores potências do planeta continuam fazendo birra não querendo ajudar o planeta se livrar do efeito estufa que, devido o aumento da temperatura, vem ocasionando o degelo que, brevemente, ocasionará o sumiço de milhares de cidades litorâneas em todos os continentes.

Também estive no dia 15 de abril em Porto Velho onde fui participar do aniversário dos 100 anos do jornal Alto Madeira do meu amigo Euro Tourinho que, com seus 95 janeiros ainda administra e edita este aguerrido jornal do Estado de Rondônia, terra onde morei e trabalhei por 42 anos de minha vida.

Voltando dia 20 para minha elegante terra natal, São José do Rio Preto, depois fui até a cidade de Sales-SP onde nos dias 23, 24 e 25 ministrei três palestras sobre Meio Ambiente e Sustentabilidade na Escola Estadual Maria Cardoso Castilho. Fiquei feliz com a receptividade da diretoria e com a clientela formada por jovens e adultos.  Depois disso fiquei por uma semana na minha casa de verão no condomínio Clube Recreativo Barra Mansa onde degustei boa alimentação e curti o rio Tietê.

Hoje estou descansando em S.J. Rio Preto, na minha chácara “A Toca do Guerreiro” de onde, só sairei para outras palestras que estão sendo agendadas.

Até lá, espero que minha Santa Tambura, o seringalista Sissi e o filósofo Zé Praxedes, continuam tentando proteger a Calha Norte dos criminosos que devastam sem dó nem piedade a maior biodiversidade do planeta e a maior riqueza do Brasil Se quiserem salvar o planeta, protejam a Amazônia, por isso continuo pedindo aos políticos de bom sendo e patriotismo, se é que existe algum. DESMATE ZERO JÁ! Vou! Fui! Inté!